Arrematada
pra fora da cama

vou-me a ti atirar-me
pedindo descanso

desnudo-me,
entrego-te

o que não sei
o que não cabe

aqui
fica aqui

texto ruim
garota insone

o que não sei
o que me agita

cura no tempo
que não sei esperar

ai se as curvas
fossem flashes
pedaços de futuro

eu dormiria descansada.

Ai, de mim
que sou assim

cabeça prende
coração balança

ou o contrário?

Ai de mim,
que sou assim

descabelada
faminta
hipnotizável

pensativa
descritiva

textos ruins não me deixam dormir.

Anúncios
Padrão

Se o meu corpo fosse um rio
com certeza o coração seria aquela parte em que se encontra
alguma profundidade e quentura,
acolhimento, refazimento

Se o meu corpo fosse rio
nada ali estaria bloqueado, sujo e confuso

A menos que eu jogasse ali estas podridões

que circundam

Se o rio fosse meu corpo, suas águas quereriam me livrar
De cantos tensos e densos

Pois tenro é em mim
o que deixou de ser o que eu não sou
mas que em momento estive

E que persiste

Padrão

às vezes meramente calado, às vezes em dissonância com o todo, o que todo sonhador faz é ser visto pela metade.

não que ele não queira ressoar, é só que ele está geralmente submerso em diálogo intenso.

não dá tempo.

o tempo é o maior consumidor da vida.

quando der mais acesso aos passos que aos sonhos

há de se levar os sonhos junto,

se não não vinga.

Padrão

Pensei em abrir a porta

Só pensei.

O peso é maior do que aparenta

Se é que aparenta que há peso algum nisto

Flashes da minha infância me vêm como um lampejo

E de cenas outras de toda a minha vida vivida
.
.
Estou sozinha em casa agora

E haveria de tentar me esconder debaixo da cama

E ainda assim estaria só eu e eu…

E a porta.
.
.
Eles deixam tudo aqui do jeito certo

Pra você rodar rodar e nunca parar ‘lá’
.
.
Gozado,
.
.
Embora o lá esteja após a porta

Eu prefiro fazer hora

Averiguar outras portas…
.
.
Mesmo sabendo não ser ali o caminho

ou ali ou ali

Eu preciso prová-los
.
.
É mesmo uma falta de vergonha na cara

É mesmo uma tentativa de se cansar e se cansar e se cansar para enfim ter desculpas

Pra não realizar o que se veio realizar
.
.
Beijo doce

Que toca a minha pele

Foi um anjo que me abraçara nua

Em prantos

De amor pelo meu buraco divino

E doce

Gotejando lágrimas
.
.
Fora um anjo
.
.
Rápido, muito rápido

Veloz tanto quanto a fuga
.
.
Por que vocês não vêm aqui

E tiram logo essa mancha preta que oxida

e se espalha pelas minhas células
.
.
Porta fechada.
.
.
Não sou como ele, ou como ela, ou como ele

Não sou!!! Para ser mais específica

Vim para ser montada
.
.
A ilusão é uma coisa linda…

Que eu não preciso e não me agrada
.
.
Por que então eles se sentem tão atraídos?

Será temor??
.
.
A lua brilha

no céu cinza desta cidade

Tão bela e nua

como deveria ser minha alma,

meu corpo,

meu espírito

Meu ser é de luz sutil vibracional

Sobe, cai, Sobe, cai
.
.
O reterei aqui comigo,

naquele buraco mesmo

quente, úmido, plácido
.
.
Se me perguntarem

Não poderei dizer.

Padrão